Agora sim, dei pra sonhar com meu ex-marido. Mas que diacho agora eu tenho que sonhar com ele a cada dois, três meses. Eu, hem! Falta de assunto.

Outro dia sonhei uma historinha que se passava aqui pertinho, no Canadá, e que envolvia gente daqui do escritório. Eu não estou gostando nada de ele vir se meter na minha vida aqui, uma vida que ele nem conhece, um povo que ele nunca viu.

Essa noite sonhei que estava brincando com a filha dele que, na vida real, é filho. E que a mulher dele me olhava com aquela cara de cu de sempre, a mesma que com que ela me olha sempre. Ela não gosta de mim, só porque eu fui mulher dele antes de ela ser. Eles moram perto de minha mãe e, sempre que se encontram, ela olha minha mãe feio também. Nesse ritmo, ela tem muitas mulheres pra olhar feio, porque ele é bem rodado.

Fui cair na besteira de contar pra uma pessoa, de Salvador, que andava sonhando com ele e ela me perguntou se eu ainda o amava. Mas veja que coisa mais sem pé nem cabeça. A gente não pode nem mais sonhar com a pessoa. Vixe!