Cheguei ao escritório ontem sob os aplausos e expressões de aprovação dos colegas. O motivo é que passei no teste pra cidadania americana, só falta agora a cerimônia. Ninguém aqui desperdiça oportunidade de comemorar qualquer coisa, então nada de esperar até o mês que vem. Me levaram pra almoçar e pareciam muito felizes por eu ter “entrado pro clube.”

Em determinado momento eu revelei a data da cerimônia e alguém achou absurdo nao terem me colocado no dia 4 de Julho, dia da Independência, quando acontece um evento enorme aqui perto, com direito a encenação da Revolutionary War e tudo o mais. O negócio dura horas. Quando disse que escolhi fazer outro dia por isso mesmo, muitos me olharam espantados. Calma aí, pessoal, o cara que vende patriotismo instantâneo em garrafinhas na esquina do prédio da imigração não apareceu por lá hoje, justo no meu dia.

Mais tarde, o diretor do departamento me perguntou duas vezes, DUAS, se eu sairia pra comemorar hoje à noite, ou se teria uma festinha logo mais. Quase fiz que não entendi a pergunta. Ele pareceu bem decepcionado quando eu disse que nao teria nenhuma comemoração especial. Eu, que já estava achando que o almoço foi um pouquinho demais, me perguntei por que razão sairia pra comemorar, era um dia como outro qualquer.

Sou grata a esse país por várias razões, mas tenho a sensação de que eles valorizam esse ato muito mais do que eu. Minhas razões pra me tornar cidadã americana são muito práticas, nada sentimentais, e nem contam apenas em meu próprio benefício. Eu não me sinto uma privilegiada ou coisa assim, a lei me permite requerer a cidadania e eu o fiz. Simples. Parece-me justo que, morando aqui, trabalhando e pagando impostos, eu tenha também o direito de votar – único benefício imediato do qual eu, pessoalmente, tomarei proveito. Quem sabe o tempo me faça entender melhor isso tudo.

Por ora, eu só espero que a cerimônia seja breve. Guardem os fogos de artifício pra quem realmente acredita que obter cidadania americana é uma benção. Eu sou too much of a nonbeliever pra me emocionar com essas coisas. Voltemos ao trabalho.