Tudo que eu sempre quis na vida foi ser livre. Ainda menina, eu queria crescer logo pra poder fazer o que bem entendesse.

Aos 13 anos aprendi a dirigir pra poder ir onde quisesse, quando quisesse. Aos 14 eu dirigia 60km de estrada perigosa passar o dia na praia, quando devia estar na aula. Aos 15 anos, liberdade era participar nas rodas de fumo dos meus amigos, mas eu passava o baseado e não fumava. Aos 20, depois de viver um relacionamento longo demais pra alguém tão jovem, eu exerci a minha liberdade de dormir com quem eu bem entendesse. Foi também quando eu comecei a pensar que nunca me casaria.

Aos 24 eu fui morar com um homem negro, sendo filha de um racista declarado. Foi quando me libertei de meu pai, e quando libertei meu pai de seus próprios preconceitos. Aos 30 eu saí do país e me libertei da tirania de minha mãe, me tornando sua amiga distante. No mesmo ano eu me casei no papel, e neguei toda a liberdade que tinha antes.

Por outro lado, eu nunca fui tão livre quanto agora.