Eu leio muitos blogs. Leio um número bem maior do que o que aparece aí no blogroll. Daí que eu vejo muita coisa legal e muita coisa esquisita, muitos escritos de gente que tem as faculdades mentais no lugar, muita gente louca com um senso de humor fora do comum, e muita gente estranha se manifestando.

Mas não comento muito, principalmente se for pra discordar, porque eu sei que tem muita gente por aí que não consegue suportar o fato de que alguém discorda de sua importante opinião. Até saber mais sobre quem escreve, eu evito muito contato. Já passei por uma saia justa uma vez e não estou interessada em outra.

Tem um blog que eu leio de vez em quando e normalmente não digo nada. Outro dia, porém, vi um post insinuando que os americanos são todos burros. O comentário era baseado num video duvidoso de um cara fazendo perguntas a americanos que passavam numa rua qualquer, de uma cidade qualquer, sobre história e geografia dos EUA e de outros lugares. As respostas foram TODAS erradas, o cara não achou um ser humano que soubesse qualquer coisa sobre qualquer assunto. Ou escolheu não mostrar essa parte. Eu considero uma irresponsabilidade julgar um povo de um país inteiro como burro por causa de um video desse tipo. Não gosto de generalizações, mas não estou livre delas, como todo mundo. Se alguém me vir generalizando, por favor, chama a minha atenção.

Deixei um comentário educado dizendo que se fôssemos fazer (e já foi feito) a mesma experiência no Brasil o resultado seria o mesmo, que eu acho que gente que tem alguma educação, como nós, não devia fazer esse tipo de julgamento. Inicialmente, meu comentário foi ignorado. Depois, numa resposta pra outra pessoa, que concordava com ela, a autora do blog disse que tem gente que só consegue ver coisas erradas no Brasil, que tudo que vem de fora é bom. Insinuou ainda que ser burro no Brasil está justificado porque somos pobres, ou algo que o valha. Eu não tenho saúde, nem razão, pra entrar numa discussão desse tipo, e saí de fininho. Se as pessoas escolhem conversar apenas com quem concorda consigo, é problema delas. Deletei o endereço dos meus favoritos e fui-me embora. Fazer o quê? A casa é dela e só entra lá quem ela quer. Ainda que eu ache que, desse jeito, é melhor conversar consigo mesmo.

Quem tem telhado de vidro não deve jogar pedra na casa do vizinho.