Eu hoje decidi que estou velha demais, mal humorada demais pra ficar lutando batalhas perdidas. Decidi que vou fazer um esforcinho extra pra nao me estressar com as pessoas, principalmente as pessoas com quem nao tenho relacoes estreitas. Acho que a vida pode ser bem mais facil e feliz assim.

O leitorzinho amigo deve estar se perguntando se eu estou com febre, ne? Se ta tudo bem com a minha cuca. Nao e’ nada disso nao. E’ que cansa, enche o saco, e a gente perde tempo tentando mudar coisas que sao imutaveis. Eu nao estou aqui pra educar adulto. Se eles foram porcamente educados, paciencia. Eu nao tenho nada a ver com isso.

Ta bom, eu vou parar de conversa mole e contar logo o que aconteceu. Estavamos eu e uma outra pessoa numa lojinha de coisas fofas pra festa comprando items de decoracao pra um evento que faremos juntas. Guardanapo vai, toalha de mesa vem, nao gostamos de uma determinada combinacao, sabe? Tava meio brega, meio floral demais, meio chinfrin. Dai a pessoa deu o veredicto: esse nao, ta muito baianinho. Veja bem, eu nao sei se nesse caso devo usar o h ou nao. Pergunte aos miseraveis que usam essa palavra com intencao de achincalhar alguem ou alguma coisa.

Que que eu fiz? Nada! Olhei pra ela, ela olhou pra mim, me fez um afago no ombro e disse: e’ o jeitinho da gente falar, ne? Eu agarrei outra toalha e disse que era aquela que eu queria. Pronto. Acabou a conversa.

Nao, leitorzinho. Eu nao mandei ninguem tomar no cu, eu nao disse desaforo nenhum, eu nao amaldicoei ninguem nem fiz sermao. Estou velha. E cansada. Quero mais e’ que o mundo exploda.