Faz tempo que nao venho aqui, ne? Eu nem te contei ainda da minha maravilhosa viagem pro estado de Oregon, nao foi? Mas eu sou assim mesmo, eu prometo e nao cumpro nunca. Agora tem assunto fresco na manga e Oregon vai ficar pra outra. Eu acabei de voltar de Dallas, no Texas, meu povo. Pra quem mora no estado de NY, Dallas e outro mundo altogether, ces nao tao sabendo de nada. Ces pensam que os Estados Unidos sao outro mundo? Dallas e’ outro planeta.

Ja ta dando pra sentir que eu odiei? Nao? Pois entao, deixa eu dizer direitinho: eu odiei Dallas. Tudo bem que eu passei poucos dias, mas eu odiei, e estendi o odio ao estado todo, por toda vida, nao quero mais voltar la, amem.

Fui pro casamento de uma amiga dos primordios de minha mudanca pra ca. A primeira pessoa com quem eu fiz amizade nesse pais. Ela e’  fofissima e eu tinha que ir mesmo, nao ha duvida. Valeu muito a pena estar no casamento dela, ser recebida na casa dela, depois de cinco anos de ausencia. Mas Dallas, meu povo. Ces podem fazer um buraco bem fundo no meio do planeta terra e enfiar aquele lugar todinho la. A mim nao fara falta.

E eu nem sei explicar assim de sopetao porque eu odiei tanto. Foi uma combinacao de varias pequenas razoes, a seguir: O calor tava de matar, e os dias estavam amenos pros locais. Foi impossivel encontrar vida inteligente, ainda que euconsidere a possibilidade de ter estado no lugar errado na hora errada. A cidade e uma grande estrutura de concreto e todos os lugares que me indicaram como agradaveis e bonitos me pareceram saidos de uma revista de arquitetura de mau gosto. Nao vi beleza natural nenhuma, nada, necas, tudo frio, seco e fabricado. A vida ali e’ um excesso, e os excessos me incomodam muito. Os carros sao grandes, as casas verdadeiras mansoes em tamanho, todo mundo carrega uma bolsa da Coach e roupas de marcas famosas. Mas, no fundo, eu vi foi muito mau gosto.

Se aparecer alguem que mora no Texas por aqui vai me achar uma antipatica, preconceituosa e sabe-se la mais o que… mas eu nao poderia dizer o que senti em outras palavras. Ha de haver coisas boas em Dallas, tenho certeza. Mas eu nao vi. Alias, antes de sair daqui, pesquisei na sessao “36 hours…” do NY Times e nao vi nada de interessante em Dallas. Ha que se dizer que o NY Times nao e’ imparcial ao falar do Sul do pais, de jeito nenhum. Mas eu nao vi nada na coluna que me interessasse. Isso dai ja foi uma pista de que o lugar nao era pra mim.

Por agora so posso desejar que nao tenha jamais outra razao pra ir aquele lugar. A minha amiga? Ah, ela eu posso ver em outras partes do pais, onde sera mais divertido encontra-la. Por enquanto, sigo na minha ignorancia e no meu preconceito. Mas putz, eu nao preciso ver duas vezes pra saber que nao gosto, ne mesmo?