Entonces, meu povo. Eu queria anunciar que saquei tudo. Quer dizer, saquei uma parte do lance apenas. Em primeira mao, so pra voce leitorzinho ausente, leitorzinho fantasminha, leitorzinho imaginario, minha conclusao das ultimas semanas:

Vida de mae e’ um coisa punk  no ultimo volume. Serio. E’ foda. Mas e’ bom. Explico:

Minha irma tentou o visto de novo, sem meu pai. E conseguiu! Ela chegou aqui dia 9 de agosto e eu tenho estado as voltas com umas questoes legais referentes a permanencia dela. Ela entende ingles mas ainda nao fala, ainda nao tem amigos, ainda nao sabe se virar sozinha. E eu me esticando pra todo lado pra dar conta de tudo e ainda fazer papel de irma, mae, amiguinha que ouve historias de namorado. Stress puro, em estado bruto. Nao a parte de ser amiguinha ou irma, mas a parte de ser responsavel por um ser humano menor de idade, e de ter que tomar providencias relacionadas a saude e seguranca desse ser humano.

Ontem liguei pra uma amiga e contei da minha frustracao de nao saber nunca o que fazer pra agrada-la. Nao que seja dificil agrada-la, ela e’ uma menina super. Mas e’ falta de treinamento meu mesmo. Que tipo de programa fazem as meninas de 16 anos? Nao sei. Minha amiga ai disse que sendo mae nao melhora nada, que as maes pensam que sabem tudo mas que vivem tateando no escuro. O que agrada hoje e’ careta amanha. Caraca! Desesperei.

Lembre-se que ela ainda nao tem amigos aqui. E quem me conhece sabe que eu sou relutante em conhecer pessoas novas, desconfiada e mau-humorada que sou. Mas se voce, leitorzinho querido, tem um(a) filho(a) de 16 anos, ou 15, ou mesmo 17… liga pra mim. A gente tem mil coisas pra conversar enquanto a meninada se diverte, tenho certeza. Na pior das hipoteses, a gente vai prum shopping num sabado a noite e senta no cafe (tomando bebida nao alcoolica) esperando que eles terminem as compras, ou sei la que diabos faz um adolescente no shopping. Sempre achei que ficavam so andando pra cima e pra baixo.

Alias, bom tocar nesse assunto. Estranhos sentimentos parecem tomar conta das femeas que sao responsaveis por seres nao adultos, mas um deles e’ particularmente assustador. Eu queria fazer uma consulta com as leitoras experientes: E’ normal ir pro shopping, voltar com tres sacolas, e nao ter comprado nem uma agulha pra si mesma? E ainda por cima se sentir bem com isso, quase feliz? Ou sera que eu preciso me tratar?

Enfim, outros capitulos dessa novela virao, com certeza. Essa semana teremos momentos importantes e decisivos. Na semana seguinte teremos um momento punk inimaginavel: Viagem a NY com adolescente. Prometo que conto tudo quando chegar (mentira, nunca acredite nas minhas promessas), ou pelo menos conto como consegui fugir pro bar do hotel pra tomar uns martinis em paz na calada da noite.

Vida de mae e’ punk, meu povo. Se voce nao sabe, continue sem saber. Ainda bem que nessas paragens a experiencia e’ passageira porque eu ja estou exausta. Mas feliz. Que estranho.